O Ínicio

103254961

Estive muito tempo fora. Não literalmente. Estava mesmo é com uma crise de criatividade. Acho que em virtude das coisas que aconteceram.

Não queria postar algo antes de responder um post da Jo e, também, não tinha ideia para fazer a réplica. Talvez agora esteja um pouco melhor. E, como eu desejava, vou responder.

Soube que pensava que te ignorava. Foi minha estratégia durante dois dias para acabar com a mágoa. Mas foi um erro meu pensar que você iria encarar de outra forma a dita cuja da questão. Eu não deveria achar que deverias ser adulta frente à isso quando és adolescente. Entretando não guardo rancor por muito tempo, nem com inimigos, quanto mais com você. Simplesmente sou incapaz. E seria imaturidade de minha parte continuar com essa história. Bem, peço que me perdoe. Acontece que, às vezes, a adolescência me influencia de uma forma que passo a magoar as pessoas. Estou mesmo arrependida disto.

Quero que me perdoe também pelas vezes que não agradeci sua preocupação, a vontade que tinha de me alegrar. Se não falei, se não confiei…bem, foi burrice minha.

Desculpe por tudo. Sei que não posso expressar tão bem quanto você tudo o que sinto, em tão poucas palavras. E ainda seria incapaz – talvez por covardia – de te dizer tudo isso. É que te amo e tenho medo de te decepcionar. E, quando isso acontece, me odeio tanto que a única maneira de enfrentar isso é te ignorar. Não é justo e só prova minha covardia. Não queria me mostrar fraca, por isso não disse nada. Ainda assim, só com você consegui me abri de uma forma que talvez não consiga mais. Ou sim. Como você disse, nenhuma de nós duas sabe do futuro. Só sei o que ficou, o que passamos, de bom ou de ruim. E, sim, você me conhece melhor do eu poderia me conhecer. Cara, nem minha mãe me conhece assim! Isso não é estranho… ¬¬’’

Você me protege ao mesmo tempo que tento te proteger (ultimamente quero te proteger de mim), e isso se torna um ciclo vicioso. Não que seja ruim. Mas, de vez em quando, é exagero. Você peca por excesso. Comigo são os extremos: ora excesso, ora falta. Não tenho como evitar isso. Sei que com tudo isso que estou escrevendo vou provocar ciúmes, por que não escrevo o mesmo, por que não é igual, e você é apenas minha amiga.

Bem, você não é apenas minha amiga. É minha melhor amiga, a irmã que nunca tive, quem me alegra quando isto parece impossível, quem me acompanhou em praticamente todos os momentos difíceis e ruins de minha vida, quase desde o ínicio.

Pena que vai mudar. E, aliás, não quero ser seu desfecho, pois você nunca será o meu. Talvez não nos encontremos mais e, mesmo longe, você sempre estará comigo. Pois você foi meu início. Onde, quem sabe, começou minha vida. Me acompanhou desde lá e não quero que acabe assim, nem nunca. Pois agora tenho um dos momentos mais importantes da minha vida para enfrentar (um outro início) e você sempre soube da minha vontade. Eu quero que você esteja do meu lado, da mesma forma que pretendo estar lá quando acontecer para você. Prometemos que isso aconteceria, não foi? Vamos cumprir!Desculpe por deixar com você um peso maior de que poderia aguentar.

Eu te amo por ser quem você é: o meu início. Não vai mudar…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s